A logística reversa é sempre mais complexa e custosa do que uma operação de distribuição, o que a torna uma ótima fonte de oportunidades de melhorias.

Além das dificuldades operacionais, existe também uma complexidade ligada à gestão e controle da logística reversa, que pode ser resolvida com uma solução tecnológica (software).

Muitas empresas ainda estão em uma fase embrionária no quesito digitalização da logística reversa, e enfrentam desafios básicos como, por exemplo, concentrar as “solicitações de devolução” em uma ferramenta.

Um grande complicador é o fato de os embarcadores terem diferentes fluxos de reversa, cada um adequado para cada tipo de operação ou material. Por exemplo:

  • “Devoluções por vencimento de produto em clientes Key Account”
  • “Recall por qualidade”
  •  Etc.

Lembrando que cada um destes fluxos possui etapas, responsáveis e prazos.

Dependo do volume de solicitações de devolução, administrar toda esta complexidade é algo quase impossível de ser feito sem o apoio de sistemas de software.
Sistemas como o Hodie Reversa permitem controlar diferentes fluxos de logística reversa:

  • Multi-fluxos
  • Workflow configurável
  • Sistema escolhe o fluxo conforme as variáveis da solicitação
  • Controle de prazos por etapa
  • Acionamento do responsável pela etapa
  • Escalonamento de autorizações
  • Automatizações para tomada de decisões nos fluxos
  • Homologado por grandes indústrias farmacêuticas
  • Gestão de crédito para o cliente
  • Processo auditável
  • Digitalização com inclusão de terceiros (clientes, transportadores, diretores, comerciais)
  • Monitores, dashboards e torre de controle

 

Como começar?

Uma gestão eficiente começa com o desenho dos fluxos dos processos com a linguagem BMPN (Business Process Model and Notation). Depois disso, é preciso estabelecer as etapas, prazos e responsáveis por cada fase do fluxo.

Lembrando que o processo de digitalização das empresas, tão comentado e desejado por todos, também traz responsabilidades para terceiros (clientes, fornecedores, transportadores, etc), de modo que podemos (e devemos) atribuir a responsabilidade de algumas etapas dos fluxos reversa para estes ”players” dentro dos processos e sistemas.

Este pacote (fluxo + prazos) determina um prazo para atendimento de cada solicitação, o que já é um grande avanço no processo de implementação do controle da logística reversa.
Depois disso, é só implementar um bom software para gerir sua operação reversa, e colher os frutos que a ferramenta poderá proporcionar!


Artigo publicado no dia 5 de novembro de 2020 em linkedin.com